A casa dos budas ditosos

Imagem: Goodreads

Depois de muito tempo lendo só livros em inglês, resolvi me empenhar para achar boas obras escritas originalmente em português e, até agora, tenho tido muita sorte. Especialmente com este último, A casa dos budas ditosos, de João Ubaldo Ribeiro. Desde as primeiras páginas não consegui desgrudar mais. E uma das minhas maiores alegrias na vida é sentir essa “química” instantânea com o jeito de escrever de um autor. É uma coisa que simplesmente acontece e, por mais que eu tente explicar, é mais sentimento que qualquer outra coisa.

A casa dos budas ditosos é um livro safado. Safado no melhor dos sentidos da palavra, daquele jeito que faz a gente sentir vergonha de ler no transporte público, mas lê mesmo assim e foda-se. A narradora protagonista é uma mulher tão maravilhosa e cheia de boas histórias pra contar, que seria bom se o livro tivesse 500 páginas. O ritmo acelerado, marcado pelas idas e vindas da memória de uma pessoa idosa mostram uma indiscutível  habilidade na escrita.

“Quanta mulher não comeu o homem que quis, apenas porque ele não podia recusar uma mulher? Uma mulher se tranca com um homem num quarto e diz que ele vai comer ela. Ele tem que comer, a não ser que ela seja o corcunda de Nôtre Dame.”

A obra faz parte de uma série  chamada Plenos Pecados, da Editora Objetiva, que convidou um autor para escrever uma história relacionada a cada um dos sete pecados capitais. A luxúria coube a João Ubaldo Ribeiro, que afirmou ter recebido um pacote com transcrições datilografadas do relato contado no livro. Se é verdade ou uma brincadeira do autor, difícil saber. Mas a história é incrível de qualquer forma, seja realidade ou invenção.

Em tempos de 50 tons de cinza, é bom lembrar que existem histórias eróticas que podem causar no leitor sensações que vão muito além da libido. E A casa dos budas ditosos é uma delas. Extremamente sensual, sexual, profana e deliciosamente sagaz, o livro encanta pela feminilidade intensa e visceral da narradora, que provoca, questiona, surpreende e encara este relato como sua missão no mundo. A sensação constante é de que ela pega na mão do leitor e a conduz para os lugares mais profundos da sexualidade, tanto a nossa quanto a dela.

 

Anúncios

Sobre balbiemadeleine

Inventora e aprimoradora de nomes de cidades imaginárias do interior do Brasil. Se você quer criar uma cidade e não faz ideia de como ela deve se chamar, chegou ao lugar certo. Oferecemos desconto para pacotes acima de 5 cidades, desde que com menos de 10.000 habitantes.
Esse post foi publicado em literatura, palavrinhas e marcado , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para A casa dos budas ditosos

  1. Bia Fonseca disse:

    Essa coleção dos sete pecados capitais é sensacional. O da Gula é muito bom também!

Por acaso, COMENTE

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s